Author Topic: Neutralidade da Internet está ameaçada no Brasil: pagar por site  (Read 1806 times)

0 Members and 1 Guest are viewing this topic.

Offline IgorEliezer

  • Devotee
  • Administrator
  • *
  • Posts: 3945
  • Total likes: 134
  • Helpful: 70
  • Lost In Stupid Parenthesis
    • Igor Eliezer Architect and Urban Planner/Arquiteto e Urbanista
  • Languages: PT, EN, AutoLISP, Python
(Se você não tem paciência de ler um texto de meia-página, assista ao primeiro e ao terceiro vídeo linkados no post)

Vou explicar com minhas palavras:

Por dez reais por mês você poderá receber e enviar e-mails nacionais. Com um adicional de 5 reais, poderá enviar e receber e-mails internacionais.

Por mais dez reais por mês você poderá acessar os "principais" sites de notícias nacionais e uma quantidade de horas assistir vídeos.

Por mais 20 reais por mês você poderá acessar o Facebook, o Orkut e algunas redes sociais afiliadas.

Por mais outros 30, você poderá pesquisar no Google. Com mais 10 você poderá pesquisar sites internacionais, mas não poderá abrí-los, desde que você page uma licença tabelada por país.

Por mais outros 50 voce poderá acessar o YouTube, o Vimeo.

Por mais outros 100, você poderá desbloquear seu site e permitir que outros o acessem.

Por outros 200, você poderá desbloquear sua comunidade e permitir que outros o acessem.

Acaso você não concorde com a nova licença de uso da internet ou se o seu site não for economicamente interessante, você será desconectado.


O que você acha? Não é justo? Você estará pagando só por aquilo que você usar. Ah, um detalhe, você continuará pagando pela conexão.

...

O que escrevi acima é uma hipótese. Não existe de fato, ainda, mas é o que as nossas "teles" e empresas de mídia estão preparando: transformar a internet numa grande "TV a cabo", o acesso seria oferecido por meio pacotes. Isso vai contra ao que nós chamamos de Neutralidade de Rede.

Dê uma assistida neste video: http://www.youtube.com/watch?v=8DdaC93O9Yw


O que é Neutralidade da Rede?


Uma vez que você tenha conexão, neutralidade da rede é a possibilidade de ter acesso a qualquer conteúdo que esteja on-line, sem restrição no meio do caminho.

O usuário pode restringir o que quer ver (assim como você decidiu abrir esse post para ler), e quem produz conteúdo pode restringir o que publicar ou não (assim como eu decidi publicar este post para os outros lerem), mas quem está no meio (as empresas de telecomunicação) não podem dificultar ou simplesmente impedir o acesso do conteúdo. Qualquer conteúdo na internet deve ter o mesmo tratamento.


Como evitar? Concessão pública tem que prestar serviços públicos!

Para garantir que isso não aconteça, é necessário uma lei que garanta a neutralidade da rede, o direito SEU de usar a internet e o que as empresas de telecomunicações e mídia podem ou não podem fazer. Para quem não sabe, essas empresas são CONCESSÕES PÚBLICAS que usam BENS PÚBLICOS, elas devem sim prestar contas e serviços à sociedade. Não é porque elas são um negócio com fins lucrativos que estão desobrigadas de dar uma contrapartida (uma compensação) para a sociedade.

Quer um exemplo? Um rio. Um rio não tem dono, não é? Mas o Estado pode conceder o rio para uma empresa explorar o rio, para pesca por exemplo. Não é porque a empresa recebeu a concessão sobre o rio que ela é dona do rio. O rio é publico, é um bem natural. A empresa que realizar a pesca no rio terá que permitir que outras pessoas possam beber da água ou usar barcos para poder ir e vir, isso é a contrapartida de interesse público.


Marco civil da internet, a lei da internet no Brasil

Nos últimos anos vários projetos de lei foram elaborados por parlamentares (deputados e senadores) para regular a internet, algumas ameaçaram a internet que conhecemos hoje.

Então, de 2011 para cá, foi elaborado o projeto de lei do Marco Civil da internet, elaborada pelo Ministério da Justiça com participação de várias fundações, debates por meio de Audiências Públicas em vários estados no Brasil e muita participação popular. Esse sim garante a neutralidade da rede e dá ao usuário o direito de escolher se quer compartilhar dados de sua navegação. Este projeto irá para votação na câmara dos deputados e senado nos próximos dias, e existe muita pressão das teles e mídia para mudar esse projeto para que elas possam ter o direito de escolher o que vai passar na rede e criar "planos" para você comprar o que ver na net.

Se você tem paciência, assista o vídeo seguinte, é uma apresentação feita no Campus Party (1/2/2013). O relator do projeto de lei do Marco Civil da Internet irá explicar todos os pontos da lei e vai explicar o que é neutralidade da rede, o que é privacidade do usuário na net, sobre crimes na net, o que as teles podem e não podem e o risco do projeto ser mudado contra o direito de acesso à informação na última hora.

CPBR6 - O marco civil da Internet. Princípios, direitos e deveres:
 :arrow: http://www.youtube.com/watch?v=uECDiLA4rxU

EDIT: Programa Clique Ligue: Marco Civil da internet - 22/10/2013: http://www.youtube.com/watch?v=tSEyvihwVjM

Então espalhem e compartilhem essa informação.

Offline IgorEliezer

  • Devotee
  • Administrator
  • *
  • Posts: 3945
  • Total likes: 134
  • Helpful: 70
  • Lost In Stupid Parenthesis
    • Igor Eliezer Architect and Urban Planner/Arquiteto e Urbanista
  • Languages: PT, EN, AutoLISP, Python
Re: Neutralidade da Internet está ameaçada no Brasil: pagar por site
« Reply #1 on: November 05, 2013, 10:12:33 PM »
 "Mas nada garante que seja votado na semana que vem. O PMDB liderado por Eduardo Cunha -alvo maior na cobertura do Mídia Ninja- fechou com teles e Globo e deve aguardar instruções, antes de permitir uma votação. Talvez só mesmo no ano que vem."
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/nelsondesa/2013/11/1367278-marco-civil-e-a-mae-de-todos-os-lobbies.shtml

"Pelo acordo que está sendo encaminhado por Eduardo Cunha (líder do PMDB na Câmara), a Globo negociaria ao menos parcialmente a neutralidade na rede e ficaria com o artigo que garante que os direitos autorais no Brasil se sobrepõem aos direitos humanos.

É isso mesmo, você não leu errado. A Globo defende que apenas para questões que envolvam direitos autorais não haja necessidade de processo judicial para que um conteúdo seja retirado do ar. Ou seja, você pode defender a pedofilia que tudo bem, mas se divulgar o capítulo da novela no seu blogue estará perdido.
(...)
Enquanto isso, as teles querem ser donas não só dos dutos por onde passam as informações, querem controlar também as informações que passam por ali. E a depender do que estiver circulando, cobrar diferente por isso, como fazem as tevês a cabo."
http://revistaforum.com.br/blogdorovai/2013/10/31/eduardo-cunha-articula-acordao-entre-globo-e-teles-contra-o-marco-civil/

Resumo: É nisso que dá o brasileiro deixar o cérebro em casa na hora de votar para deputado e senador, depois vira um bicho nas ruas "contra tudo que tá aí".